O JULGAMENTO

Somos sempre julgados. Muitas vezes somos atingidos em nossos egos. EGO….essa coisa que é tão difícil trabalhar. Afinal queremos nossa máscara ou persona de pessoa legal, boazinha, sensacional e que agrade a Deus e ao resto do Mundo. E assim a gente segue até o dia que em que descobre que não é com o ego que devemos nos preocupar mas sim com o nosso SELF -CORAÇÃO-ALMA.
Mas eu estou escrevendo isso porque quero que você você que está lendo entenda que quando vê uma pessoa, você está vendo apenas algumas  peças de um quebra-cabeça infinitamente grande. O que aquela pessoa já vivenciou em boas ou más experiências nós nunca saberemos: então evite julgar! É muito ruim ser julgado por pessoas que nos conhecem, nossos amigos, familiares, quanto mais por “estranhos” que nada sabem de nossa jornada.
Quando eu era adolescente, eu queria muito cursar Psicologia, era o meu sonho. Um dia o psicólogo do Colégio onde eu estudava disse algo sobre mim que foi bastante destrutivo, foi algo tão terrível o que ele disse que acredite se quiser: eu não consigo me lembrar da frase ou mesmo do conteúdo, só lembro da sensação de ter tomado um soco na boca do estômago. Formou-se um enorme buraco na minha memória, mas o que ele me disse fez com que, na minha imaturidade, eu desistisse do meu sonho de cursar psicologia e fui fazer Faculdade de Direito. Acontece que Direito nunca teve nada a ver comigo, fiquei  cinco anos infeliz cursando algo que eu detestava, numa estranha forma de vingança pela ofensa recebida. Por outro lado, eu perdi a “fé” no psicólogo, na psicologia, no Freud, no Lacan, no Jung, enfim passei a querer ser tudo, menos psicóloga, não queria nada daquele profissional, muito menos uma carreira similar. Tudo isso é passado e fui conduzida pelas mãos sábias do destino a minha real vocação: ser cuidadora e protetora do Feminino.
Ainda assim, gostaria de pedir a você:
1- NÃO JULGUE AS PESSOAS, principalmente se você mal as conhece.
2- Não destrua o sonho de ninguém,
3- Não derrube lágrimas, arranque risadas!
4- Nós não sabemos o número de “couraças” emocionais que uma pessoa carrega para sobreviver, não sabemos o quanto aquela pessoa precisou se endurecer para não “quebrar”.
5- Vamos ter mais respeito e amor por nossos semelhantes. Estamos todos no mesmo barco. Todos temos problemas, todos estamos aqui para aprender, crescer e evoluir, juntos!
Pense nisso! Namastê!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s