MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS NATURAIS

    
Os métodos naturais de planejamento familiar referem-se às técnicas para obter ou espaçar a gravidez, mediante a auto-observação de sinais e sintomas que ocorrem naturalmente no organismo feminino ao longo do ciclo menstrual.
Baseando-se na identificação do período fértil da mulher, o casal pode concentrar as relações sexuais nesta fase, caso deseje obter uma gravidez, ou abster-se de ter relações sexuais, caso deseje evitar a gravidez. A determinação do período fértil baseia-se em três hipóteses cientificamente válidas, a saber:
· A liberação do óvulo (ovulação) ocorre entre 11 a 16 dias antes do início da menstruação;
· O óvulo, após ter sido liberado, tem uma sobrevida de aproximadamente 24h;
· O espermatozóide, após sua inoculação no trato genital feminino, tem capacidade para fecundar um óvulo até o período de 48 a 72h.
Atualmente são conhecidos os seguintes métodos naturais:
· Método Ogino-Knaus (calendário ou “tabelinha”) : este método baseia-se no fato de que a duração da Segunda fase do ciclo menstrual (pós-ovulatório) é relativamente constante, com a ovulação ocorrendo entre 11 a 16 dias antes do início da próxima menstruação. O cálculo do período fértil da mulher é feito mediante a análise de seu padrão menstrual prévio, durante 8 meses, em média.
· Método de temperatura basal corporal ou térmico: este método fundamenta-se nas alterações da temperatura basal, que ocorreram na mulher ao longo do ciclo menstrual. A temperatura basal corporal é a temperatura do corpo em repouso. Antes da ovulação, a temperatura basal corporal permanece em nível baixo; após a ovulação, ela se eleva ligeiramente (alguns décimos de grau centígrados), permanecendo nesse novo nível até a próxima menstruação. Este aumento de temperatura é resultado da elevação dos níveis de progesterona, que tem efeito termogênico. O método permite, através da mensuração diária da temperatura basal, a determinação da fase infértil pós-ovulatória.
· Método da ovulação ou método de Billings: este método baseia-se na identificação do período fértil, através da auto-observação das características do muco cervical e da sensação por ele provocada na vulva. O muco cervical é uma secreção produzida no colo do útero através das criptas cervicais, que por ação hormonal apresenta transformações características ao longo do ciclo menstrual, possibilitando dessa maneira a identificação do processo ovulatório. O muco cervical, no início, impede que os espermatozóides penetrem pelo canal cervical. É pegajoso, branco ou amarelo, grumoso, que dá uma sensação de secura da vulva. O muco cervical, sob ação estrogênica, produz, na vulva, uma sensação de umidade e lubrificação, indicando o tempo da fertilidade, momento em que os espermatozóides têm maior facilidade de penetração no colo uterino. Este muco é transparente, elástico, escorregadio, fluido, semelhante à clara de ovo.
· Método sinto-térmico: Este método baseia-se na combinação de múltiplos indicadores da ovulação, com a finalidade de determinar o período fértil com maior precisão e confiabilidade. Os parâmetros subjetivos relacionados com a ovulação podem ser, entre outros: dor abdominal; sensação de peso nas mamas, mamas inchadas ou coloridas; variações de humor e/ou da libido. A mulher que desejar fazer uso deste método deve estar completamente familiarizada com as técnicas de cada um dos métodos naturais, já descritas anteriormente.
 
Mecanismo de Ação: Impedem o encontro do espermatozóide com o óvulo, quando o casal evita as relações sexuais durante o período fértil da mulher. 
As contra-indicações destes métodos são todas relativas a alterações no ciclo menstrual.
Eficácia
Método Ogino-Knaus: nove em 100 mulheres no primeiro ano de uso
Muco Cervical: três em 100 mulheres no primeiro ano de uso
Temperatura corporal basal ou térmico: uma em 100 mulheres no primeiro ano de uso
Sintotérmicos: duas em 100 mulheres no primeiro ano de uso
Vantagens:
· Não oneram financeiramente
· Não apresentam possíveis efeitos colaterais
Desvantagens:
· Sua eficácia é considerada baixa
· Alteram o comportamento sexual do casal
· Não oferecem proteção contra DST.
 Na minha opinião todos esses métodos são válidos, mas camisinha é obrigatório, SEMPRE!

Este texto foi encontrado na Web, página: http://www.unifesp.br

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s