OUTUBRO ROSA

Tatuadora brasileira cobre gratuitamente cicatrizes de mulheres sobreviventes do câncer e da violência doméstica | HypeScience

Tatuadora brasileira cobre gratuitamente cicatrizes de mulheres sobreviventes do câncer e da violência doméstica | HypeScience

   Outubro é o mês escolhido para a realização mundial da campanha de conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. A história da campanha OUTUBRO ROSA se inicia em 1990, na primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, e desde então, ocorre todos os anos na cidade.

   O nome é por conta do laço rosa que é o símbolo da luta contra o câncer de mama e estimula a participação de toda a sociedade. No Brasil, o movimento tomou força em 2 de outubro de 2002, após a iluminação, em tom de rosa, do Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo- Capital. Em 1990 a Fundação Susan G. Komen for the Cure lançou a idéia do laço rosa e o distribuiu aos participantes da primeira corrida pela cura, em Nova York, corrida essa que ocorre anualmente na cidade.

   Quando descoberto logo no início o câncer de mama tem perto de 100%  de chance de cura: se o tumor está limitado à mama, sem comprometer linfonodos ou outras estruturas, a sobrevida em 5 anos é de 97%. Se houver comprometimento de linfonodos regionais, esta taxa é de 78%.

   Os principais fatores de risco além da hereditariedade são o sedentarismo (falta de atividade física) e obesidade.

   Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:

  • Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos

   O autoexame através do toque da mamas a ser feito, mensalmente, logo após o período menstrual e a mamografia anual para mulheres com mais de 40 anos são os principais métodos de detecção precoce da doença. Se houver histórico familiar a mulher deve fazer a mamografia a partir dos 30 anos. Ao identificarem alterações persistentes nas mamas, as mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

   A psicossomática (ciência que estuda a interação entre mente e corpo), numa abordagem junguiana, nos informa que as mulheres que tem problemas com o  Feminino por esse se encontrar ferido, amordaçado, escondido, são as principais vítimas desse tipo de tumor. Viver verdadeiramente sua vida, seguindo seus desejos e intuições a partir de um ponto interno de auto-respeito e autoestima é um dos caminhos de prevenção e cura que não dispensa, logicamente, o tratamento médico convencional.

   Divulgue a importância dessa causa no seu site, blog, rede social e converse sobre o assunto com suas amigas e com todas as mulheres da sua Vida!

ATENÇÃO: Esse mês nosso Site que é originalmente AZUL, será colorido pelo Rosa da Campanha!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s